Sílvia Beatrice Genz

Sou SÍLVIA BEATRICE GENZ, nascida dia 19 de novembro de 1956 em Linha Nova interior de Santa Cruz do Sul – Rio Grande do Sul. Filha de Leonildo Genz e de Norma Genz (ambos em memória). Iniciei a alfabetização em casa em língua alemã, aos 7 anos fui para a escola, única do local, concluí os 5 anos que a escola oferecia. Desejava continuar os estudos, mas havia muita dificuldade, pois este deveria ser realizado na cidade de Santa Cruz do Sul.

Sílvia Beatrice Genz

Em 1972 tornou-se viável para minha família com auxílio de bolsas de estudo, voltar para sala de aula, no Colégio Mauá em Santa Cruz do Sul. Isto implicou numa rotina diária de viagens, saindo de manhã às 7 horas e voltando às 17 horas, muitas vezes sem almoço, por falta de recursos financeiros.

Em 1976 iniciei o segundo grau no extinto Instituto Pré-Teológico em São Leopoldo, com o firme propósito de preparar-me para ser pastora com incentivo e ajuda do pastor Damerow.

No ano de 1978 o IPT, no último ano da minha turma foi transferido para Ivoti.

No ano de 1979 novamente em São Leopoldo, iniciei os estudos na Faculdade de Teologia, hoje, EST, onde aproveitei para aprofundar os estudos em latim, alemão, inglês, música, cantei no Coral do Morro.  Fiz estágio em Colorado do Oeste na Rondônia.

Fui enviada em 1983 para a Paróquia Evangélica de Palmitos, após a conclusão dos estudos na Faculdade de Teologia, onde trabalhei em um dos pastorados da Paróquia.

A paróquia estava iniciando o segundo pastorado, o trabalho realizou-se em equipe, pois a troca de idéias, o diálogo com o presbitério, secretário da paróquia (executivo) e outros colegas próximos, sempre foi de grande importância.

As atividades na Paróquia Evangélica de Palmitos foram intensas: Cultos, ofícios (batismo, ensino confirmatório, casamento, enterros…) nas 16 comunidades. Encontros de OASE em 11 comunidades, 12 grupos de jovens, ensino confirmatório, formação de orientadoras(es)  do  culto infantil,  trabalho com idosos,  visitação  hospitalar, visitação às famílias, doentes, enlutados, estudos bíblicos, reuniões com os presbitérios (formação), programas de rádio, encontros e celebrações ecumênicas, e ensino religioso na escola Cenecista da localidade.

No ano de 1985 nasceu a primeira filha Alvine, e em 1987, Tamar. No ano de 1991 nasceu Joana.

Em 1992 assumi um dos pastorados na Paróquia Marques de Souza até setembro de 2001, em meio ao intenso trabalho na paróquia também aprofundei o estudo no violão e flauta, pois era desejo da paróquia ter um trabalho mais intenso com música. Ao mesmo tempo em que aprofundava os estudos já iniciei grupos de flauta, violão, coral com crianças e coral da OASE junto com a regente Sônia. Também participei de cursos e atualizações, junto com lideranças em formação da comunidade: ICTE, curso de extensão da Associação Irmã Sophie Zink, de 180 horas, “Curso para Liderança na Ação com Pessoas Idosas”, realizado no Sínodo Vale do Taquari, coordenado por Marion Creutzberg, “Curso para Multiplicadoras e Multiplicadores de Liturgia”, na EST de 150 horas e pela Diaconia, “Vida no Limiar da Morte” com 120 horas, para acompanhar doentes em fase terminal e seus familiares.

Em outubro de 2001, assumi um dos pastorados da Paróquia Martin Luther de Erval Seco, mas, em um acordo entre paróquia e Sínodo Uruguai, assumi 50% do pastorado na Paróquia e 50% no trabalho de coordenação do: “Conselho de Formação e Diaconia do Sínodo Uruguai”, que organiza, planeja viabiliza cursos para formação de lideranças, visitadores, orientadores do culto infantil e ensino confirmatório; equipes de música para as comunidades. A atividade principal foi o Curso de Teologia Popular. Um curso de 2 anos com 16 etapas que capacita e traz subsídios cristãos para pessoas engajadas no trabalho missionário e diaconal nas comunidades. Iniciei a elaboração do material “A Palavra de Deus” em fascículos, estudos bíblicos para fazer em casa.

Coube-me a elaboração da Agenda do Sínodo e assumir diversos outros cursos, encontros e palestras nas paróquias e no Sínodo Uruguai.

Na paróquia de Erval Seco com suas 12 comunidades e 6 pontos de pregação numa abrangência de 8 municípios, com distâncias de 84 km de uma extremidade a outra o trabalho tal qual era interminável.

Destaco alguns: o trabalho com Casais Reencontristas, OASE, Coral da OASE, congressos com confirmandos, ensino confirmatório, seminários para orientadores/as do culto Infantil, encontros paroquiais de crianças, grupos de mulheres e coral de crianças com 40 participantes chamado “Sal da Terra”, preparação para o batismo com pais e padrinhos e formação de equipes de liturgia e culto, para que além do culto com a presença de pastor, pastora as comunidades se reunissem em culto mais vezes.

Ainda com 50% de atividades no sínodo, em maio de 2006 assumi em 50% do pastorado na paróquia Chapecó e a partir de junho de 2007 o pastorado em tempo integral, na paróquia Chapecó.

A Paróquia tem sua sede na cidade de Chapecó que tem em torno de 200 mil habitantes e é um importante pólo de desenvolvimento da região oeste de Santa Catarina. A paróquia e mais especificamente, a Comunidade, recebe membros das paróquias vizinhas, alguns se filiam e outros não. Neste espaço urbano o objetivo é acolhê-los bem para participarem, conhecerem a IECLB e se sentirem em casa.

A cidade é dividida em muitos bairros por isso acontece um trabalho intenso com Encontros de Famílias (adultos, crianças, idosos e jovens). Nestes encontros acontece uma comunhão entre pessoas vizinhas, pois cada encontro é realizado em casa diferente, são encontros mensais, com estudo de temas a partir da Bíblia, cantos, orações, brincadeiras e muita conversa amiga. Neste momento membros sentem-se encorajados a tirar dúvidas e buscar esclarecimentos sobre a comunidade.

Chapecó caracteriza-se como cidade povoada por italianos católicos, mas hoje tem muitas outras igrejas, procuramos ser IECLB com alegria e mensagem clara do Evangelho, fazemos isto como Confissão Luterana sem deixar de sermos ecumênicos. Um programa de rádio diário de 10 minutos colabora para sermos conhecidos como IECLB com mensagens para toda sociedade.

A formação de lideranças é fundamental, pois a vinda e saída constante de membros exige cursos permanentes de formação, para isso realizamos um curso na comunidade chamado: “Curso de Teologia Paroquial” em várias etapas durante o ano para conhecer a Bíblia AT e NT, Confessionalidade Luterana e a nossa Igreja-IECLB onde somos parte deste corpo. Como paróquia é muito importante saber-se corpo, pois tem comunidades com poucas famílias numa área de abrangência grande, por isso, há mais tempo junto com o Sínodo Uruguai planejamos a partir da Comunidade de Xanxerê, a presença de uma PPHM para animar esta comunidade com mais atividades e visitar famílias da comunidade que residem em municípios vizinhos onde não tem comunidade da IECLB.  Em agosto de 2011 isto se tornou realidade, após longo planejamento com presbíteros da comunidade de Xanxerê, da Paróquia Chapecó e Sínodo Uruguai. Para tornar esse trabalho realidade o tema: Fé-Gratidão e Compromisso foi muito importante.

Sempre colaborei nas coordenações sinodais: pastora orientadora da OASE e do Culto Infantil do Sínodo Uruguai… A missão é de Deus, mas a paixão é grande para servir nela.

Nas paróquias o meu trabalho sempre se voltou para edificação de comunidade. Formação de lideranças, elaboração de material, animação de comunidade e trabalhar conflitos buscando reconciliação. Anunciar a Boa Nova do Evangelho de Jesus Cristo, nosso Salvador de forma que crianças, jovens, casais, homens, mulheres e idosos se sentissem participantes e despertados para se deixar servir por Deus para servi-lo em suas vidas. Minha postura tem sido de assumir meu papel de líder espiritual, sem, no entanto, deixar de ser simples e compreensiva, especialmente com as ovelhas mais enfraquecidas. Busquei sempre participar em cursos e atualizações bíblicas e teológico confessionais. Zelo pela teologia e confessionalidade evangélico luterana, mas com postura ecumênica. Entendo que o trabalho numa paróquia não será começado por mim e nem terminado, por isso procurei conhecer a realidade e em diálogo com o presbitério e todas as lideranças planejar as atividades da mesma.

Trabalhos na IECLB, Distritos, Regiões e Sínodo: Durante o tempo de pastorado exerci inúmeros cargos e funções, além do trabalho das paróquias (sempre em acordo com os presbitérios), dentre os quais cito alguns:

Pastora Vice Distrital, no Distrito Uruguai, fiz parte do grupo de apoio da Região Eclesiástica VI, Conselheira na LUTERPREV, Pastora Vice Sinodal, do Sínodo Vale do Taquari Comissão Litúrgica da IECLB, pastora vice Sinodal do Sínodo Uruguai e “Grupo de Diálogo e de Apoio Pastoral ao P. Sinodal e vice do Sínodo Uruguai.

Devo ressaltar que em outubro do ano de 2010, no Concílio da Igreja fui eleita pastora 2ª vice presidente da IECLB, para o mandato 2010-2014, assumi com temor e honra esta tarefa, sempre em acordo com o presbitério exerço as tarefas e saídas para as reuniões na direção da Igreja.

Como pastora da IECLB há 28, neste tempo, pela graça de Deus tive oportunidade de colocar meus dons a serviço nas diversas Paróquias e instâncias da IECLB.

Percebo que o servir na igreja (IECLB) como ministra acontece em todas as paróquias, cada uma com suas peculiaridades e jeitos.

Com grande alegria e honra inicio os trabalhos na Comunidade Evangélica de Confissão Luterana – Picada 48 Baixa em Lindolfo Collor-RS.

Pa. SÍLVIA BEATRICE GENZ

Anúncios

Uma resposta

  1. Parabéns pelo seu trabalho na SEARA DO SENHOR !QUE DEUS abençoe sua família e o seu ministério ! Abraço de IVONI HERRMANN NOÉ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: